terça-feira, 20 de maio de 2008

.aconteceu

Acontecimentos de amor são assim, vem e pá. É tipo uma batida de carro, quando você vê bateu, quando você vê deu o maior prejuízo, e quando você vê ta rindo de tudo, mas a questão especifica do acontecimento é algo mais complexo, é do tipo paixão, não tão passageira, não tão exagerada, mas na medida exata do acontecimento.

E aí? Meu amigo, quando você vê ta apaixonado, quando você vê ta falando sobre isso, e pior quando você vê está escrevendo sobre isso, a pergunta agora é: daqui um tempo eu vou rir disso?

Na verdade essa mistura homogênea de sentimentos me parece mais uma formula maluca, que deixa tudo em proporções fora do real, o doce é mais doce, o feio é mais bonito, o bonito não encontra palavras pra se descrever, o amargo não é tão ruim, as cores não são tão feias, as camisas listradas agora são elegantes, e você nem sabe mais direito do que você gosta; você gosta mesmo é dele;

Suas ações normais agora são toda atrapalhada, você parece ter 15 anos e se sente inseguro até no lado em que você deixa a franja.

Medo? Caros, nem me daria o direito de falar sobre ele, é como aquela brincadeira de que você deve se jogar no braço de seus amigos de costas, e se os amigos não tiverem lá? E se eles te sacanearem, ta aí uma comparação legal.

A bobeira que a galera comete é ficar dizendo pros amigos os quais a paixão bateu antes a porta, “caramba, você ta bobo”, e agora o bobo é você. Você mudou e nem viu, nem percebeu, se perdeu, se apaixonou.

Vida cheia de gracinhas né, deixa você se preparar muito pra isso e do nada o que ela faz é te dar uma rasteira.

Admito: Ele é hoje o que tenho de mais doce, meu bem querer, o ser que me fez entender o humano, a colocação perfeita na minha tese sem base, não mais um fato isolado, agora é cada dia mais o contexto, quando a multidão estava indo, ele veio ao meu encontro, me arrebatou, não em seu braços mas em seu olhar, me fez compreender que doar-se ao outro é um acontecimento que você constrói a cada dia, que a compreensão está no jeito de ler o olhar, que você não se apaixonada simplesmente 100% em um dia, mas que cada dia você se apaixona 100%. Meu desejo por ele é platônico, mas irresistivelmente, além disso, também, hora o tenho, e essa hora me sinto completa, hora não o tenho e é esse tempo que me faz procura-lo insistentemente para respirar.

Um comentário:

Elis disse...

É isso ai maninha...
Só quem vive pode explicar o que não tem explicação... é como se fosse uma palavra escrita errada e no fundo vc sabe o que quer dizer e no momento certo passa a borracha e escreve certo... dando explicação a teoria da complexidade do amor!!!rsrs