quinta-feira, 31 de julho de 2008

.faz de conta que não é o fim

Meu coração se despedaçou, por onde eu começo agora se por um bom tempo você foi o rumo? Qual parte eu deveria juntar para continuar? E quanto tempo essa dor ainda vai durar?

Os dias de sol parecem não mais vir, a lua cinza, fria e triste se põe no céu, para que todos os mortais atônitos possam vê-la. Despojaria-me de todo o mimo, da perversão, para o que me pertenceu me fosse dado novamente. E se quando voltar existir ainda amor, proclama-o com sinceridade; sem medo, sem aflição, acaso seria fácil conquistar o bem mais precioso do mundo? Porém não jures amor, não jures o amor que não pode me dar, não jures pela lua, que muda a sua forma todos os dias; E prova-me que seu amor a ela não se iguala, que é imutável.
Só desejo intensamente que os sentimentos não fiquem a mercê do tempo, pois ele não hesitaria em apaga-los, que as decisões não sejam irrefletidas, precipitadas e súbitas, para que não deixem estragos como relâmpagos, ou ainda, acaso isto aconteça, que o mundo conspire para a felicidade que nos unirá, permitindo tempo e compreensão para que sejamos novamente cúmplices.

Além de ti não preciso de nada afora o que possuo, tenho medo, de um sonho, lisonjeiro em demasia para ser realidade, o amor procura o amor e assim caminham companheiros amadurecendo, mas quando o amor abandona o amor, volta a ser juvenil como antes, como se fosse arremessado novamente no ponto de partida, escuto meu amor implorar para me levar onde fores, para que a solidão não tome seu lugar, para que não seja necessário que eu me recorde de como sua companhia era docemente comparada aos dias de sol que hoje já não existem mais.
Não é justo estar fadada a infelicidade quando ainda exista um fio de esperança, quando ainda nada morreu e o tempo ainda não foi ingrato roubando os corações e os deixando vazios.
Se não fosse a diferença que nos separa, e nossas características comuns nos unissem ainda mais, seria sua senhora, entregaria a teus pés meu futuro e não me importaria de segui-lo pelo mundo todo.

4 comentários:

Elder Martins disse...

Ma-ra-vi-lho-so!
Sério, perfeito...
(;

Daiane Conti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rogério disse...

e alguém ainda teria coragem de te abandonar depois de ler os seus sentimentos tão entregues e sinceros?

Juro que não entendo.

Suas palavras são perfeitas.

e vc é linda!

Adriano disse...

Bem... saber que eu fui a inspiração desse texto, me causa um duplo sentimento: a) felicidade, pois minha namorada realmente é fantástica com as palavras, sendo que sua capacidade de expressar seus sentimentos é simplesmente maravilhosa; b) uma certa angústia, pois jamais pensei em causar sofrimento a quem quer que seja... fico feliz de estarmos juntos novamente.